Gilin

uma "simpática" atualmente sem rumo

Mês: dezembro 2016

Minha retrospectiva 2016

Qual foi seu dia ou evento preferido do ano e por quê?

Dez de agosto, o dia que saí da casa dos meus pais e fui morar sozinha no meu apartamento. Morar sozinha era um dos sonhos da minha vida desde os quinze anos, que estava adiando por medo, preguiça e falta de dinheiro.

Qual foi a melhor coisa que você criou no ano?

Este blog, por causa do nome. 😀

Qual foi sua decisão de maior impacto para sua vida e para a vida de sua família?

Ir morar sozinha.

Qual foi sua melhor realização financeira este ano?

Pagar todas as contas em dia.

Você alcançou algum objetivo de vida este ano?

Ainda não fiz um lista de objetivos de vida, então não.

Qual foi a lição mais difícil aprendida no ano?

A constituição é muito bonita, mas isso não impede as pessoas de cagarem nela.

Você desenvolveu um novo hobby? Pretende abraçar novos passatempos no ano que vai começar?

Não comecei nada novo e interessante, mas se tivesse começado provavelmente já teria enjoado ou saturado e já teria parado. Espero, de todo o meu coração (que ainda de forma aparentemente saudável), começar a fazer atividades físicas em 2017.

O que aconteceu no ano que te deixou mais grata?

Oi pessoal, meu nome é Jennifer, e eu sou introvertida (isso foi uma apresentação num grupo de ajuda de anônimos, para quem não entendeu).

Eu tenho algumas coisas na minha personalidade que sempre me incomodaram bastante, e não conseguia descobrir como resolver. Depois de muito pesquisar internet afora, descobri que sou assim por causa do meu tipo de introversão, que me fazia me sentir toda errada por que eu funciono um pouco diferente do padrão de uma mulher brasileira (o esteriótipo de mulher, e de brasileira).

Não é (só) por saber que existem outras pessoas que estão na mesma situação complicada que eu (uhu, eu tenho um grupinho!), mas principalmente porque agora eu não tenho mais medo de dizer “foda-se” para a diferença dos outros.

Como e por que fazer a retrospectiva do seu ano

Essas perguntas que respondi vieram desse vídeo do Fernando Mesquita:

Foto aleatória que fiz na festa da minha sobrinha

Primeiro post de comparação

Escrever o primeiro post do blog é assustador.

Sabe quando escrevi a primeira versão desse post? Junho, acho. Escrevi, publiquei, e três dias depois, despubliquei.

Na primeira versão eu comparava a publicação do primeiro post no blog vazio à coisas como o primeiro dia de aula ou de trabalho. Achei uma boa ideia. Depois me senti idiota. Ficou igual àquela apresentação que a gente é forçado a fazer no colégio, quando a turma não se conhece, entende? Você planeja o que vai dizer (você vai ser a pessoa mais legal da turma por causa do que vai falar) mas quando chega a sua fez, você fala ainda menos do que a professora pediu. Ridículo.

Mais ridículo ainda é pagar vários meses de hospedagem do blog e não usar. Muitas pessoas se identificam com isso. Talvez até você se identifique, sabe, pagando adiantado a academia e não indo?

Outra coisa. Já viu aqueles programas de talentos, nas fases iniciais, quando pessoas completamente sem talento participam acreditando que têm jeito para a coisa e são quase instantaneamente desclassificadas? Então! Não vou dizer mais nada.

Até o próximo concurso de talentos, digo, post.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén